terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

I Wish I Was An Indian

Ah, como eu queria ter nascido índio! Sim, índio. Daqueles que andam pelados o dia inteiro, arriscando-se mata adentro em busca da traiçoeira presa que lhe servirá de jantar. Dos que correm, que brincam, que pulam, que se divertem. Daqueles que vivem em constante contato com a fauna e flora, de maneira nem sempre harmoniosa, mas nunca desrespeitosa. De tomar um bom banho no rio quando bem me conviesse, de poder conviver entre ocas e itaocas, cercado de familiares, parentes, conhecidos... Dos que se pintam, se furam, que celebram. Dos que não precisam de muito para viverem e, ainda assim, o fazem com excelência. Ah, que saudades sinto do dia anterior ao que me introduziram à tecnologia! Da inocência do desconhecer, da ignorância do não saber, da experiência de não ter experimentado, por mais contraditório que pareça. Sinto falta da época em que podia-se viver sem aparatos tecnológicos, elaborados e desenvolvidos para tão somente atenderem às necessidades que nós antes não tínhamos. Ou, quem em sã consciência diria que, há 50 anos , alguém precisaria sair de casa munido de celular, mp3, gps e afins? Tenho plena convicção de que se, hoje, um de nossos ancestrais pegasse um celular em mãos, primeiro ficaria curioso para saber do que se trata, depois perguntar-se-ia “pra que serve?” e, por fim, terminaria descartando-o e voltando a fazer o que havia parado. Quão fúteis, inúteis, corruptíveis!Como nos enganamos ao pensarmos que o ser humano evolui concomitantemente à tecnologia! Um disparate é crer que coisas são mais importantes do que pessoas, que dinheiro vale mais do que relacionamentos, que possuir supera o ser! E, por falar em ser, quem realmente somos, afinal? Confusos entre nossas convicções e nossos “achismos”, buscamos incansavelmente descobrir se, de fato, somos quem somos ou quem fingimos ser. Não sabemos mais onde começa a pele e onde termina a máscara. A quem buscamos enganar: a nós mesmos, ou às pessoas ao nosso redor?
Nada faz sentido.“Afinal de contas, qual o sentido da vida?” diria o outro. Quem teria a audácia ou sobriedade necessária para responder a essa recorrente questão? De onde viemos, quem somos, para onde vamos? Ora, a resposta, no entanto, abunda. Um certo homem chamado Salomão (há quem diga ter sido o mais sábio que já existiu), ao findar de seus pensamentos no livro de Eclesiastes, conclui que, de todas as coisas que temos, fazemos, das pessoas que conhecemos, situações que presenciamos, oportunidades que perdemos, títulos que conquistamos, enfim. Tudo, absolutamente tudo é vaidade. Vaidade. Brevidade. Efemeridade. Fugacidade. Escolha o sinônimo que melhor lhe satisfizer. A verdade é que essa vida é passageira, bem como tudo que ela oferece. Assim como não vale a pena comprar uma mansão cheia de quartos no meio do deserto, posto que seria habitação passageira, também não vale a pena nos apegarmos aos manjares suculentos oferecidos pelo príncipe dessa terra.
O que fazer, então? Em Eclesiastes 9:10, Salomao segue dizendo sobre isso:
“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.”
Portanto, aprendemos, com isto, que tudo é passageiro, e que no, no final das contas, é como se estivéssemos todos em uma grande corrida atrás do vento! No entanto, tudo o que nos for confiado, tudo ao que nos empenharmos e nos dedicarmos a fazer, temos que fazer com excelência. Temos de dar o nosso melhor sempre, como se fora para Deus. A biblia diz, em Efésios 2:8 que a salvacao não vem por intermédio de obra, para que ninguém se glorie, mas também diz que as obras seguem os que foram transformados por Deus, pois, sem elas, nossa fé seria morta, como em Tiago 2:17
Foque-se no que é eterno. Incline seus olhos para o que é duradouro. Não deixe-se levar por coisas que hoje são e amanha já não são mais. E sempre, sempre faça o seu melhor. Sempre busque dar um pouco mais de si mesmo, por mais que as pessoas nao reconheçam. No final das contas, será entre você e Deus, não entre você e as pessoas.
Tudo bem, eu confesso que não fui verdadeiro ao afirmar desejar ter nascido índio. Estou satisfeito com o que Deus me deu e a realidade na qual me colocou. Apenas expressei-me dessa forma clamando pela humanidade num âmbito geral, anseiando por um mundo mais simples e com menos complicações. Hoje, descobri que, através de Jesus Cristo e sua cruz, a vida torna-se muito mais simples. Jesus nos ensina que para amarmos o próximo não precisamos de motivos. Amar excede qualquer entendimento. Ele nos amou, se entregou até a morte e morte de cruz. Isso sim é que é sentido de vida! Viver para Ele, viver nEle e por Ele! Ele é a essência da vida,Ele é a própria vida! O único motivo pelo qual devemos viver.
Com isso, gostaria de finalizar com uma frase que tem tudo a ver com o supracitado: Não tornemos passageiro o que é eterno: viver a vontade de Deus não é estado de espírito, é opção de vida! Que Deus te abencoe!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Está na hora de falar sério

Galera, vamos acordar! As eleições estão aí e temos uma candidata capacitada, batalhadora, que sempre lutou pelos recursos minerais e pela soberania do Brasil. Se você tem orado pelos políticos do nosso país, eis a resposta à sua oração. EU VOTO MARINA SILVA, e você? Acompanhe a biografia dos 3 principais presidenciáveis e tire suas próprias conclusões. Deus nos abençoe!!!

Dilma Rousseff: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dilma_Rousseff

José Serra: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Serra

Marina Silva: http://pt.wikipedia.org/wiki/Marina_Silva

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Sonhar ou realizar?

Sonhar ou realizar um sonho, o que seria melhor? Você pode me responder, sem pestanejar: realizar, sem dúvidas. Mas, será mesmo? Te convido a raciocinar, compreender e enxergar que, na verdade, sonhar em si é muito melhor do que realizar um sonho. Calma, nao fique bravo comigo ainda. Voce irá me entender, eu prometo. Para explicar, baseio-me na teoria da relatividade, a qual define, sendo bem objetivo para não ficar cansativo, que a grama do quintal do vizinho é sempre mais verde. Fulado de tal conseguiu, por que eu nao? Outro fator interessante que em muito coopera com essa teoria é a insaciedade do ser humano em adquirir bens. Não importa se você ganha bem, você sempre quererá ganhar mais. E o que me intriga é que a sua receita será, via de regra, menor do que seus gastos, independentemente de quanto você recebe no final do mês. Se isso não acontece com você, parabéns! Ou você é um muquirana, ou é formado em economia, ou está para casar. Se não for nenhuma dessas coisas, deve ser, com certeza, meu tio Reginaldo (oi tio) ou alguma outra pessoa com um pouquinho mais de idade, entao você nao se encaixa no perfil dos outros 99% dos leitores deste texto. Enfim...boa leitura, mesmo assim! O que estou tentando explicar é que nunca estamos satisfeitos. Somos movidos por algo que nos propulsione sempre para frente (ou para cima), na busca incessante pelo próximo degrau, pelo futuro obscuro que nos aguarda. Aí é que entram os sonhos. Para exemplificar melhor, vamos dividir a nossa sociedade em 3 tipos diferentes de pessoas: as realizadas, as que sonham e as acomodadas. As realizadas seriam aquelas que já conquistaram, ou estão na iminência de conquistar, tudo ao que se dispuseram. São, geralmente, pessoas já na casa dos “enta”: familia constituída, status, filhos na faculdade, poupança deveras gorda e alguns diplomas e troféus decorando as paredes e estantes de casa. Para essas pessoas, missão cumprida! Cumpriram com excelência a, assim chamada, tarefa humana na terra. Mas, será que é só isso? Seria o topo, de fato, o topo? Correndo por fora, estão as pessoas que sonham: essas são aquelas que nos inspiram. São os que acordam cedo e dizem: o que vou fazer de diferente, hoje, que não fiz ontem? E correm atrás: estudam, se esforçam , batalham, conquistam. Mas, acima de tudo, sonham. O combustível do seu dia-dia é sonhar, e isso as impulsiona rotineiramente pra frente. Na ansiedade por conquistarem, as vezes chegam a cometer alguns deslizes. Mas não desistem. Sacodem a poeira da roupa e tocam o barco. Mas, é só isso? Sonhar, por si só, seria tudo? Finalmente a última, porém não menos importante (ou sim), classe seria a dos acomodados. Aqueles sem aspiração, muito menos inspiração, por nada. Estão satisfeitos com tudo ao seu redor e, ainda que não estejam, simplesmente conformam-se e deixam-se serem levados pela forte correnteza do cotidiano como se fora uma marola. Contentam-se em serem apenas mais um rosto no meio da multidão. Desses, vou comentar pouco. São , geralmente, aqueles vizinhos chatos que furam a bola da criançada quando cai no quintal, ou aquela tia que quer o bife bem fininho e reclama se vier com nervo. Enfim, são pessoas derrotadas pela vida pois, sequer, tiveram um dia interesse em lutar por ela. São pessoas desprovidas de sonhos. São aquelas que, um dia, irão morrer e ninguem comparecerá a seus funerais. Pessoas que não fazem diferença, que passam despercebidas. Partindo da análise desses perfis, deixando em segundo plano os acomodados, gostaria de comparar as duas primeiras classes de pessoas: a primeira, na verdade, é oriunda do sucesso da segunda. Nem todos um dia alcançarão o sucesso; a maioria apenas sonhará com ele. Os realizados chegaram ao topo da carreira hierárquica , onde não há, ou concebe-se não haver,mais espaco para se crescer. E o engracado é que essas pessoas são aquelas mesmas que, quando jovens, nao viam a hora de se aposentarem e quando, enfim, se aposentam, ficam desesperados para voltarem a trabalhar. E isso já foi explicado por Einstein, quando da elaboração da sua teoria de ação e reação. Um ser humano que acostumou-se a acordar cedo a vida inteira, padecendo de uma penosa jornada de trabalho de, em média, 8 horas diárias, não consegue adaptar-se à morosidade e monotonia que uma aposentadoria pode lhe trazer. O nosso metabolismo não foi criado para a estagnação! Por mais que você anseie desesperadamente por descanso nesse exato momento, duvido que aceitaria a ideia de ficar dois meses dentro de casa acordando meio dia todo dia. Aceitaria? Então devo lhe dizer que és um acomodado, e tão novo?( não você, tio..sorry!) Por isso que sonhar é mais gostoso. A pessoa, enquanto sonha, tem algo à sua frente para buscar, e a intangibilidade de tal faz com que, cada vez mais, agregue sonhos paralelos que corroborem ou que se somem ao(s) sonho(s) principal(is). É como a espera por uma viagem: você aguarda por muito tempo, conta os dias, fica naquela ansiedade e quando, enfim, chega, você aproveita. Mas, e depois que acabou? Você vai viver só das lembranças? O ideial seria buscar por outra, certo? De semelhante modo, sonhar não deve ser apenas a ansiosa espera por algo bom que acontecerá, mas sim a constante busca por novos desafios que têm todo o potencial para darem certo. Se pudesse te dar um conselho, te pediria que, independente de qualquer coisa, você sonhasse. Sonhe muito. Sonhe sempre. Sonhe em chegar ao que todos dizem ser o topo e, ao chegar, continue a subir. Ouse. Invente. Reinvente. Quebre paradigmas. Afinal de contas, os recordes estão sendo constantemente quebrados, não é mesmo? Não pare jamais. Deus tem o melhor pra sua vida. Sonhe os sonhos que Deus tem para você. Esse é o ponto. Sonhe em fazer a Sua vontade. Sabe por quê? Por que, quanto mais você envolve Deus nas suas coisas, mais Ele se envolve com as suas. Sonhar é bom. Mas sonhar com sucesso, fama e riqueza é mesquinho e nada criativo. Sonhe em viver o melhor de Deus para a sua vida. Tenha em mente que essa vida é passageira, que Deus te colocou aqui com um propósito. Voce não foi criado por acaso. Deus , em sua imutável majestade e soberania, te criou, te amou e sonhou com você desde o ventre de sua mae e, desde lá, traçou uma trajetória de sucesso que só você poderia trilhar. Ele nos fez especiais. Mas, no meio do caminho, fazemos algumas, muitas vezes muitas, escolhas erradas, nos desviando do plano inicial de Deus para nós, semelhante a um telefone sem-fio (quem nunca brincou?) onde o que se é falado no ouvido da primeira pessoa é, invariavelmente, deturpado na trajetória até chegar ao ouvido da última. Conquistar é bom, sonhar é de Deus. Deus tem sonhos para as nossas vidas, os quais, muitas vezes, acabam não se realizando por nossa causa, como anteriormente citado. Portanto, sonhe! Sonhe e sonhe! É logico que você deve ter o objetivo de realizar os seus sonhos mas, acima de tudo, queira sonhar, porque isso é o que nos move por essa difícil jornada que é a vida! Sonhe em ser um(a) grande homem (mulher) de Deus, sonhe em cosquistar muitas almas para Seu reino, sonhe em constituir uma família, pois tudo isso são projetos de Deus. Sonhe em passar por essa vida e ser lembrado por muitos pelo amor de Deus que resplandece em seu ser, e em, um dia, poder ouvir da boca do próprio Senhor: foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei. Vem, entra pro gozo do Pai! No final das contas, a nossa vida é um grande vestibular: seremos avaliados de acordo com nosso desempenho. Muitos serão cortados, alguns outros ficarão na lista de espera. Poucos entrarão. Qual destes será você?

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Jesus ou Iemanja?

Hoje, no serviço, uma moça que trabalha comigo estava usando um colar com um pingente enorme com a figura de uma mulher. Atrevi-me a perguntá-la de quem era a imagem, qual não foi a minha surpresa ao saber tratar-se de Iemanjá. Na mesma hora Deus falou ao meu coração e eu me ri por dentro: como as pessoas têm facilidade em aceitar e adorar a um ser folclórico, inventado pelo homem, e extrema dificuldade em aceitar e adorar a Jesus Cristo, que veio de fato ao mundo, morreu por nós e ressuscitou ao terceiro dia. Na hora ri, mas agora, refletindo, tenho vontade de chorar ao ver o quão cega está a humanidade, e quão pouco nós fazemos para mudar essa realidade. Se você não entendeu até agora, deixe-me explicar melhor: essa mesma moça vive utilizando-se de expressões, tais como, “Fat Jesus” ou “Jesus apaga a luz” entre outras, seguidas de palavrões, quando algo não dá certo. Já tentei por diversas vezes entrar no assunto de Jesus com ela, quer verbalmente, quer por meio de mensagens, videozinhos divertidos e afins, sem sucesso. E, do nada, a bendita me aparece pra trabalhar adornada com uma imagem de um ser inexistente, que só existe na mente de quem a criou e de outras centenas de milhares de pessoas que ousaram acreditar na “viagem” de algum lunático. Contudo, Deus tratou uma coisa no meu coração, a qual gostaria de compartilhar com vocês: quais seriam as Iemanjás que nós carregamos em nosso peito? Ou quais são as coisas que, por muitas vezes, colocamos como adorno em nosso pescoço na substituição da figura de Cristo? É claro que não sou literal ao dizer tais coisas, mas, analisando nesse sentido, qual seria o deus de nossas vidas? O que tem feito com que desviemos o foco de Cristo para coisas inventadas pelo homem que são vãs e fúteis? Não vou citar exemplos por saber que, nesse exato momento, várias coisas já devem estar passando pela sua cabeça. O foco é: ou Cristo é Senhor absoluto em nossa vida, ou não é; ou nos entregamos completamente a Ele, amando-O acima de todas as coisas, ou nos enganamos achando que podemos viver do jeito que queremos, pois, afinal de contas, Deus é bom, Ele vai entender. Deus é amor, mas também é justiça "Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo" Rm 14:17. O simples fato de dizermos não a uma ordenança de Deus o destitui do cargo de senhor de nossas vidas. Analisemos, hoje, se Jesus tem sido realmente o nosso foco, e se temos vivido o caminho estreito que conduz à porta estreita, falando incessantemente aos necessitados as palavras da verdade que um dia nos libertaram. "Louvarei ao SENHOR em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca." Sl 34:1; "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." Fp 3:13-14.
Vamos adiante, prossigamos para o alvo! Há muito a fazer e poucos dispostos a por a mão na massa "Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos." Mt 22:14. Mostremos a essa geração quem é o Jesus em quem cremos, e qual Jesus nós pregamos! "Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado." 1 Co 2:2
Deus abencoe!